Clareamento Dental, Prós e Contras!

Cada vez são mais as pessoas que procuram olhar um sorriso perfeito e branca. Para isso, recorrem a clínicas especializadas para submeter-se a um clareamento, tratamento dentário que já se tornou um dos mais comuns. Não obstante, há que ser conscientes de que este processo, que consiste em um desgaste da partícula que protege o dente, pode ser perigoso se não for feita de forma correta por um especialista.


Consumir certos alimentos, como café ou vinho, e alguns hábitos, como fumar, podem chegar a escurecer o esmalte que reveste e protege o dente. As clínicas odontológicas oferecem tratamentos que devolvem a cor natural e clarear dos dentes com técnicas que incluem as lâmpadas LED, que abrem os poros do esmalte e claream a dentina e lembretes do tratamento em casa por meio de uma moldeiras com o produto.


Não obstante, é imprescindível realizar um bom estudo prévio para verificar o grau de clareamento que pode alcançar e o estado em que se encontram os dentes, já que a saudai das peças é um fator chave. Nas palavras da doutora Silvia González Pondal, a Clínica Médico Dentária Princesa, “a correta exploração dental prévia nos permite assegurar que não há nenhum fator que contraindique o clareamento”. Se esta avaliação prévia não se leva a cabo, ou se faz de forma incorreta, pode levar a que se produza “uma excessiva sensibilidade dental”, por não ter detectado com antecedência “perdas de esmalte, erosões ou mesmo cáries”, alerta a doutora.


Uma vez que se dá por livre ao tratamento tem que garantir que o tratamento seja feito de forma correta. O principal problema que pode ocorrer “são queimaduras ao nível da gengiva, já que o produto pode entrado em contato com ela, sem que ela esteja suficientemente protegida”, por isso há que certificar-se de que “fiquem bem cobertas”, acrescenta a doutora González. Outro costume é a excessiva sensibilidade dental já mencionada.


Cuidado posterior



Após o tratamento, é importante manter certos cuidados para que o clareamento seja eficaz. Por isso, deve-se evitar o consumo de alimentos que possam produzir a coloração dos dentes, como o vinho tinto, café e alguns vegetais com capacidade para manchar elementos brancos, assim como o tabaco.


Clareamento Dental Caseiro com WhiteMax:


O White Max é um produto 100% natural que conta em sua composição com todo o poder do carvão ativado. Além disso, ele é acrescido de óleo essencial de laranja e de argila branca.


Esse trio forma um blend único no mercado. Ele não traz nem conservantes e nem aditivos químicos perigosos. Isso já chama atenção para a qualidade e segurança do tratamento.


O que eu, particularmente, achei o melhor de tudo é que esse é um clareamento dental que não consegue penetrar no esmalte do dente e tem baixa abrasividade. Ele capta as manchas mas não prejudica a estrutura da nossa dentição.


O resultado disso é um sorriso muito mais bonito e iluminado. Tem gente que já consegue observar esse efeito em somente 7 dias! No entanto, é claro que quanto mais tempo usar, melhores serão os efeitos obtidos.


Para saber mais sobre o Whitemax acesse: http://diarioradical.blog.br/whitemax/


Além disso, “após o tratamento, é comum que ocorra algo de sensibilidade dental durante alguns dias”, por isso que é importante cumprir com as recomendações dos especialistas, conforme explica a doutora. Deste modo, evitará potenciar o dano e o desgaste.

7 benefícios surpreendentes dos jogos

Os jogos são uma das formas de entretenimento mais populares em nosso país. Um 42% dos espanhóis (cerca de 15 milhões) escolhem para passar parte do seu tempo de lazer, de acordo com dados da Associação brasileira de Jogos eletrônicos (AEVI).


E não estamos falando apenas de crianças e adolescentes, também os adultos recorrem a eles para se divertir.


Mas, independentemente de divertimento que proporcionam, podem ter algum benefício para a saúde? Parece que sim, segundo mostram um grande número de estudos, e sempre e quando não tenha um uso abusivo. Um dos mais conhecidos é que eles mantêm a mente em forma, mas há outros que talvez você se surpreenda.


1. Melhoram a atenção visual


Determinados jogos de ação pode se tornar uma boa ferramenta para chamar a atenção para o que estamos vendo, o que ajudaria a melhorar a nossa capacidade de leitura. É uma das principais conclusões de um estudo levado a cabo por cientistas do Basque Center on Cognition, Brain and Language (BCBL) e a Universidade de Grenoble Alpes (França).


Relacionado com este artigo


vista


Na pesquisa, publicada na Scientific Reports, participaram 36 adultos, que foram divididos em dois grupos: os usuários habituais jogos de ação e as que não usavam. Após realizar vários testes, o primeiro grupo obteve melhor pontuação em atenção visual e capacidade de leitura.


De fato, estudos anteriores sugerem que os jogos eletrônicos podem ajudar a combater distúrbios como a dislexia, dizem os pesquisadores.


“Os achados atuais pavimentar o caminho para desenvolver uma nova geração de jogos centrada na atenção visual que ajude a melhorar a capacidade de leitura e a lutar contra a dislexia”, apontam os autores do relatório. Neles se pode eliminar a violência, que evidentemente é pouco pedagógica.


2. Combatem o “olho preguiçoso”


Cientistas da Universidade da Califórnia em Berkeley descobriram como os jogos ajudam os adultos jovens com olho preguiçoso ver menos distorcido. Graças a eles, os participantes da pesquisa que sofrem deste transtorno (conhecido clinicamente como a ambliopia) aumentaram a acuidade visual de um 30% de média.


Esta pesquisa abre uma nova porta para o tratamento da ambliopia na idade adulta.“Muitos oftalmologistas descartam-se os tratamentos bem sucedidos em pacientes de mais de 8 anos devido à crença generalizada de que este transtorno só pode ser revertida, enquanto o córtex visual está se desenvolvendo”, disse o Dr. Dennis Levi, seu autor principal.


3. Reduzem a sensação de dor


A dor funciona de uma forma complexa e, às vezes, a pessoa que o sente entra em uma espiral da qual é difícil sair.


Ao pensar continuamente nele, a dor aumenta. Mas os jogos eletrônicos podem ajudar a quebrar essa cadeia.


Relacionado com este artigo


soluções


São vários os estudos que corroboram esta idéia. E a chave, de acordo com um relatório publicado no British Medical Journal, parece estar no alto grau de atenção que este tipo de jogos exigem. Ao nos apoiar neles, deixamos de prestar atenção a nossa sensação de dor, e esta se reduz.


O efeito foi testado com sucesso, por exemplo, em crianças submetidas à quimioterapia: os jogos de vídeo ajudou-os a sofrer menos náuseas e a tomar menos medicamentos.


4. São uma ferramenta eficaz para os fisioterapeutas


Bem usados, os jogos eletrônicos podem ser uma grande (e divertida!) forma de recuperar a mobilidade após uma fratura. Ou até mesmo podem contribuir para melhorar a coordenação motora, os reflexos e o equilíbrio em pessoas que tenham sofrido um avc e também em pacientes com graves doenças neurodegenerativas, como a esclerose múltipla ou a doença de parkinson.


Alguns centros públicos espanhóis com serviço de fisioterapia, como o Hospital de Vall d’Hebron (Barcelona), já os utilizam como uma ferramenta a mais para a reabilitação de seus pacientes.


Outro bom exemplo é o Hospital Universitário Menino Jesus (Madrid) , que foi testada com 20 pacientes, um revolucionário jogo que ajuda a melhorar a condição física e a auto-estima em crianças com paralisia cerebral.


5. Aumentam a capacidade de resolver conflitos


Os jogos apresentam um grande número de desafios e problemas que devem ser resolvidos de forma rápida. Mas este treinamento “virtual” pode ajudar a ganhar agilidade na tomada de decisões também na vida real?


Cientistas da Universidade de Pittsburgh (EUA). UU.) o provaram em médicos de urgência. E o fizeram, criando um jogo específico para eles, em que o protagonista é precisamente um médico desta especialidade. Depois de uma hora jogando o jogo, a tomada de decisões dos professores era melhor e mais rápida do que os que examinamos o material didático tradicional.


6. Contribuem para relacionar-se melhor


Quando você pensa em um usuário de jogos de vídeo, talvez você vem a imagem de um jovem preso por horas em seu quarto. Mas a tecnologia tem facilitado, e muito, que os jogos saiam também para a rua.


As novas propostas de realidade aumentada, em que, por exemplo, há que procurar diferentes personagens para todos os dias joão, podem ajudar a aumentar a capacidade para se relacionar com os outros de acordo com uma pesquisa da University of British Columbia (Canadá).


7. Reduzem o síndroma pós-traumático


Este efeito foi estudado, em particular, com um popular jogo cujo objetivo é fazer linhas de blocos quadrados, enquanto estes vão caindo.


Os autores do estudo, publicado no Molecular Psychiatry, dividiram os participantes em dois grupos (todos tinham sofrido um acidente de trânsito). Os que jogaram este jogo por 20 minutos tiveram 62% menos flashbacks traumáticos do momento do acidente, que os que leram, fizeram com palavras cruzadas ou enviaram mensagens de texto.


Como se vê, os benefícios dos jogos são numerosos. Do Saber Viver recomendamos tê-los em conta,também, diante de certos problemas de saúde.


Consulte o seu médico se jogar um pouco com eles, você pode se beneficiar.


6 motivos saudáveis para ter o cão em casa

Há companhia, nos dá amor… mas é saudável ter cão? Está cientificamente demonstrado que sim: cuidar deste animal de estimação melhora a saúde física e mental.

Descubra tudo o que lhe possa trazer.

1. seu coração é mais forte

Ter um cão em casa “obriga” a tirá-lo para passear diariamente. Se você sempre és tu quem realiza esta atividade é provável que seu coração lhe agradeça.

Relacionado com este artigo

Hábitos

  • Protege suas artérias. Um estudo publicado na revista “Circulation”, assegura que o exercício que implica fazer esses passeios diários aumenta os valores de colesterol e pressão arterial.
  • Reduz o risco de doenças cardíacas. A Fundação Espanhola do Coração defende que passear o cão diariamente ajuda a reduzir os principais fatores de risco cardiovascular, como a obesidade e a diabetes.

2. você é mais feliz SE você TEM UM CÃO

Você não pode evitar ser um pouco mais feliz estando ao seu lado… já que o seu organismo reaja de forma positiva!

  • À medida que você libera hormônios da felicidade. Quando seu cão e você vos olhais, dispara a produção de oxitocina em vossos cérebros. Assim o confirmou outra pesquisa, neste caso, levada a termo por cientistas japoneses da Universidade de Azabu.
  • Se libertar da ansiedade. Até ver documentários de animais pode ser útil, uma vez que um trabalho da Universidade de Berkeley (Reino Unido), chegou-se à conclusão de que observar o comportamento dos animais desperta sentimentos como a curiosidade e a alegria, ao mesmo tempo que afasta emoções como a ansiedade, o medo ou a raiva.

3. você se sente mais vital

Outra das consequências positivas de cuidar de um cão é que pode fazer com que você se sinta mais jovem:

    • Você percebe que você está mais saudável. Cientistas da Universidade Autônoma de Nuevo León (México) descobriram que quienesconsideran ao cão um membro da familiay passam um tempo com ele (jogando ou treinando o animal de estimação) dizem ter uma melhor saúde física.
  • Afastar as dores articulares. Outra pesquisa da Universidade da Califórnia (EUA). UU.) demonstrou que aqueles que tendem a valorizar o seu animal de estimação sentem menos dores relacionadas com a artrite.
  • Você percebe que você é mais ágil. Cientistas do Hospital Universitário Miguel Servet de Saragoça sugerem, por outro lado, do que ter cão não só faz com que se sintam menos dores, mas que também favorece que as pessoas mais velhas se sintam mais ágeis e menos sós.

4. Se concentras mais

Você tem que resolver alguma operação matemática? Fazê-lo na presença de seu cão talvez te ajude a se concentrar melhor e para chegar ao resultado, de acordo com a Universidade de Nova York (EUA). (EUA).

  • Mais capacidade de resolução. Os cientistas pediram a um grupo de mulheres que resolver exercícios de aritmética, na presença de sua melhor amiga, seu marido ou seu animal de estimação. As mais eficientes, resolvendo o problema foram as que fizeram na presença do cão.

5. O CÃO EM CASA REDUZ O STRESS

A mesma pesquisa americana descobriu que as mulheres que estavam com seu animal de estimação apresentavam menores níveis de pressão arterial do que aqueles que estavam junto a outras pessoas.

    • Contra o stress relacionado com o trabalho. Mais tarde, estudaram homens submetidos a um grande stress relacionado com o trabalho (trabalham como pilotos de saco) que estavam começando a se tratar com medicamentos para a pressão arterial.
  • A metade deles adotou um cão e, surpreendentemente, este grupo experimentou melhores valores nas mudanças de pressão associados ao estresse.

6. Se a tua melhor de um “achaque”

Os estudos demonstraram também que “o melhor amigo do homem” pode ser, também, o melhor companheiro, depois de sofrer algum problema de saúde:

    • A reabilitação física é mais eficaz. Pesquisadores da Califórnia descobriram que o contato físico com um animal de estimação pode ajudar as pessoas que estão em um processo de reabilitação física.
  • Mais sobrevivência após um ataque cardíaco. Um estudo da Universidade de Sevilha afirma que aqueles que convivem com um cachorro têm um 26% a mais de chances de sobreviver após um infarto.
  • Ajuda a continuar os tratamentos. Outra pesquisa experimental também mostrou que interagir com um animal de estimação se favorece a adesão ao tratamento de reabilitação após sofrer um evento cardíaco.

6 testes que se podem salvar a vida

Certamente, você já ouviu falar muito ultimamente sobre o avc isquêmico, e é possível que se pergunte em que se diferencia de outros, ou se existe alguma forma de saber que você está tendo um.


O que acontece quando você infarta o cérebro


A primeira coisa que você deve saber é que um avc ocorre quando o sangue, por alguma razão, deixe de chegar durante um tempo a alguma área do cérebro, o que pode fazer com que esse tecido de danos. Isto pode acontecer se uma artéria se rompe, ou se um coágulo obstrui a. No primeiro caso trata-se de um avc hemorrágico; no segundo, de um isquêmico.


O último é o mais comum (que representam 75% dos casos) e seu mecanismo de ação é o mesmo que o de um ataque cardíaco. Por isso também é conhecida como infarto cerebral.


Relacionado com este artigo


Prevenção


como saber se você está dando um infarto cerebral


Em qualquer caso, o que mais lhe importa saber é que os sintomas de ambos são iguais, e conhecê-los pode te salvar a vida. Reconhecê-los é muito simples. Além disso, alguns testes fáceis podem incluir um logotipo da sua sobre alerta.


1. Olhe para o seu rosto



  • Se sente… Fraqueza em um lado, assimetria e desvio de canto de boca.

  • Faça o teste. Fique em frente a um espelho. Tenta guiñar primeiro um olho e depois o outro. Sorri. Observa como ele responde a musculatura de seu rosto: é preocupante que um lado não se mova.

2. Verifique a sua força no braço e na perna



  • Se sente… Perda de força do mesmo lado do corpo de forma súbita.

  • Faça o teste. Levanta os 2 braços de cada vez. Que não possa levantar um deles ou que, uma vez em alto vai cair só em menos de 10 segundos, é um sinal de alarme.

3. Presta atenção no que fala



  • Se sente… Alteração súbita da fala, dificuldade ou impossibilidade de falar.

  • Faça o teste. É de se comunicar com uma pessoa que tenha a seu redor (ou telefona a alguém de confiança). Que essa pessoa lhe custe entender o que você diz pode indicar que você está sofrendo um avc.

4. Teste a sua visão



  • Se sente… Perda súbita de visão, total ou parcial, em um ou ambos os olhos.

Relacionado com este artigo


Acidente vascular cerebral



  • Faça o teste. Fixa o olhar em um objeto remoto. Tampa um olho e tenta focar o objeto. Repita com o outro olho. Você vê distorcido ou não vê com um dos dois? É motivo de preocupação.

5. Reconhece como avisa sua pele



  • Se sente… Distúrbios da sensibilidade na face, braço e perna do mesmo lado.

  • Faça o teste. Pellízcate ligeiramente em várias partes do corpo e de ambos os lados. Não observar o estímulo ou a sentir-se como “acorchado” um lado do corpo é outro possível sintoma de avc.

6. Olhe para a dor de cabeça



  • Se sente… Dor súbita e intensa sem antecedentes e sem causa aparente.

  • Faça o teste. Se não tiver nenhum outro sintoma de alarme e a dor é muito incomum em ti, toma um analgésico. Se este não lhe dá alívio, mantenha-se alerta por se aparece algum outro sinal de derrame. Se, além disso, você tem a sensação de tontura e instabilidade, a suspeita é ainda maior.

Tenha em conta…



  • Diante de qualquer um desses sintomas, embora desapareça, informe ao seu médico. Tenha em conta que se pode submeter uma semana antes do avc pode apresentar-se unaccidente isquémico transitório. Os sintomas são muito semelhantes aos do avc, mas desaparecem em menos de 30 minutos. Se é um ataque isquêmico transitório, um tratamento a tempo, pode prevenir o avc.

  • Se você sofre de algum dos 3 primeiros sinais, o risco de que se trate de um avc é de 72%. Este aumenta à medida que sumes outros dessa lista. Não espere que ele passe: você atua!

Relacionado com este artigo


Info-Medicamentos



  • E além disso… Há estudos que sugerem que, um dia antes você pode apresentar temperatura e tensão superior ao habitual, rigidez muscular no pescoço e fraqueza ao caminhar.

O que você pode fazer se você está sofrendo um avc?



  • Primeiro, tranquilízate. Tentar manter a mente clara irá ajudá-lo a seguir os seguintes passos corretamente.

  • Pede ajuda a emergências médicas. Você terá que responder algumas perguntas básicas, que são de suma importância para colocar em prática todo o processo de atuação contra o avc.

  • Se você não pode comunicar-se claramente, vais precisar da ajuda de uma segunda pessoa. Se você está em casa sozinho, tenta sair e procurar a ajuda de um vizinho.

  • E se você o percebe no outro… Avisa imediatamente para os sistemas de emergências sanitárias, expressa claramente o que está acontecendo e siga as instruções que vão dando.

6 sintomas que você nunca deve ignorar

A Medicina “antes” não dispunha de testes de diagnóstico que temos hoje; e era o próprio corpo do paciente, o que dava pistas para os médicos. Isso foi perdendo mais do que o desejável.

Saber ouvir o que o corpo é expressar através de sinais é fundamental para que os transtornos que escondem que não vão mais. Por isso há que estar atento para os seguintes sinais:

Pálpebras com bultitos de colesterol …

Embora seu tamanho seja pequeno, pode estar alertando-o de que seus índices de colesterol são demasiado elevados. Também podem aparecer em casos de obesidade, diabetes ou uma doença do fígado (conhecida como colestase idiopática).

Dor de ouvidos… por uma contratura

Embora a otite é a causa mais frequente de dor nesta área, às vezes, a origem das moléstias não está na orelha. Pode esconder, até mesmo, uma contratura dos músculos cervicais. As infecções bucais e as sinusite também podem fazer com que a dor se irradie no ouvido. O seu médico irá ajudá-lo a descobrir o porque de seu aborrecimento.

Mãos adormecidas… devido a um herpes

O herpes zoster (infecção conhecida popularmente como “telhas”) é um vírus, que permanece latente no organismo e costuma manifestar-se quando baixam as defesas. Os afetados, então, podem sofrer surtos de “telhas” na mão e os dedos, que afetam os nervos da mão, causando dormência.

Outro sinal que pode dar pistas sobre isso, é que também costumam aparecer vesículas ou bolhas agrupadas que seguem o trajeto do nervo afetado.

Uma língua muito lisa… pode SER anemia

Se a sua língua está lisa e brilhante, veja se você se sente mais cansado do que o habitual, triste ou irritável. Pode ser um sintoma de anemia por falta de ferro (ferropénica).

Para recuperar melhor, além de seguir os conselhos do médico, incorpora aos seus ménus alimentos ricos neste mineral (ovo, peixes, levedura de cerveja, leguminosas…). Se você combina com vitamina C (presente em frutas cítricas, tomate fresco, salsinha…) seu corpo aproveita muito melhor o ferro.

se a língua se queima… verifique os seus medicamentos

Notar queimação na língua é um dos principais sintomas de um transtorno conhecido como “Síndrome da Boca Ardente”. Geralmente acontece na menopausa, e também se acompanha de secura da boca. Mas o balanço hormonal não é a única causa dessa alteração: os fármacos anti-hipertensivos também podem provocarla. Se acontece com você, e os toques, consulte com seu médico se é possível alterar a medicação.

Sintomas gerais… que refletem alterações concretas

Há sintomas muito genéricos, que normalmente não damos importância, que podem estar refletindo problemas de órgãos ou glândulas vitais, como o fígado ou da tiróide:

    • Se você está irritado… Pode ser a tireoide. As mudanças de humor, às vezes, escondem uma alteração física. Por exemplo, se você notar que ultimamente tudo te incomoda e discutes com mais frequência, a resposta pode estar em sua tireoide. E isso pode ocorrer tanto quando a glândula funciona mais rápido da conta (hipertireoidismo), como se faz lentamente (hipotireoidismo).
    • Se você pica todo o corpo… Talvez se deva aos seus rins. Sentir coceira pelo corpo é um sintoma tão pouco específico que pode ser difícil encontrar a origem. A insuficiência renal é uma das possíveis causas: não retire bem os resíduos, podem se acumular no sangue e causar coceira irritante.
  • Se você notas inchada… Talvez você tem o fígado “sujo”. Todos nós nos sentimos orgulhosos em algum momento. Mas o que acontece quando passa muito frequentemente? Se o notas no abdômen, é lógico pensar que talvez haja uma falha nos órgãos situados nesta zona do corpo. Por exemplo, pode ser que o fígado não drene bem e o acúmulo de líquido ao redor.

Do Saber Viver, recomendamos que não se salte o seu check-up anual.

As análises podem dar pistas valiosas sobre o funcionamento de seus órgãos, porque certos valores podem ser alteradas antes de aparecerem sintomas.

6 perigos de usar roupas apertadas para a sua saúde

Como ultimamente se dói o estômago, seus digestões são pesadas ou você tem mais gases do que o habitual? Dê uma olhada em seu armário porque talvez a origem esteja em cintos ou meias muito apertadas. Embora esses não são os únicos efeitos negativos…


Está demonstrado que levar de forma habitual roupa muito apertada prejudica o seu aparelho digestivo e muito mais…


1. Pode ser a origem de sua dor nas costas


O atrito constante de levar cerca de calças jeans ou até mesmo um sutiã muito apertado:



  • Pode irritar qualquer um dos nervos das costas, o que acaba gerando dor.


  • Impede que os músculos das costas se movam com naturalidade. Seu corpo acaba compensando o quanto você pode e isso favorece as contraturas.

2. a roupa apertada envelhece, suas células


Vestir-se com roupas que compriman a área de traquéia ou pulmões , dificultando a respiração, diafragma, de acordo com um relatório norte-americano.


Relacionado com este artigo


Bons hábitos



  • Isso pode fazer com que chegue menos oxigênio para as células, o que facilita o envelhecimento prematuro.

  • O seu cérebro também nota esta falta de oxigênio, e uma das consequências é que você não consegue mais se concentrar, você tem menos agilidade mental, a sua memória falha…

3. Provoca prisão de ventre


Se você tem problemas de prisão de ventre e permite usar roupas muito apertadas, dificilmente solucionarás o problema sem mudar de roupa.


Tenha em conta que a certa mobilidade dos intestinos é básica para a evacuação das fezes. Assim, tudo aquilo que dificulte esse movimento acabará provocando prisão de ventre.


4. Também resulta em danos à pele


Além de vermelhidão e ros na pele, as roupas muito apertadas favorecem o acúmulo de substâncias residuais e a retenção de líquidos, principais causas de feia celulite.


5. Aumentam as infecções de urina


Umas calças muito apertadas favorecem a passagem das bactérias do ânus para a área vaginal, o que aumenta o risco de infecções, tanto nesta área como de urina.


Relacionado com este artigo


Medicina natural


Além disso, a roupas apertadas também aumenta o calor e a umidade na área genital, tornando-se um ambiente ideal para a proliferação de fungos e bactérias.


6. roupa APERTADA, coração “afogado”


A Dra Paola Beltrán Troncoso, vogal da secção de Risco Cardiovascular da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, assegura que, sem dúvida, a roupa muito apertada aumenta o risco de problemas cardíacos, pois dificulta a circulação venosa e linfática.


Isso favorece o aparecimento de trombos venosos, sobretudo nas pernas, que podem se soltar e causar infartos pulmonares.


Relacionado com este artigo


Mais eficaz


Logicamente, isso acontece quando é usado de forma continuada roupas muito apertadas e que está confeccionadas com tecidos rígidos, como os jeans.


No entanto, isso não ocorre com as meias de compressão. De acordo com a Dra Beltrán, a razão é que “têm um design especial que funciona como uma massagem para facilitar a drenagem linfática e isso pode ser útil mesmo em pacientes com insuficiência cardíaca”.


O que É CONSIDERADO “roupa muito apertada”?


Segundo a Fundação Espanhola do Coração, considera-se que uma peça de roupa é muito ajustada quando:



  • Não se deixa de realizar os movimentos de forma natural, seja agacharte, esticar os braços… ou se obriga a manter a barriga para dentro.

  • Depois de levar algumas horas se deixa marcas na pele.

Relacionado com este artigo


Em forma



  • Sente formigamento ou dormência em algumas partes do corpo como mãos, pés…

  • Notas dor no baixo ventre ou nas lombares após levar várias horas de suas calças.

Se você notar qualquer um destes sinais, é claro que suas roupas devem ser folgadas.


Eles… olhos com o síndrome da gravata

Nos homens, o problema está na gravata. Esclarecemos-lhe até que ponto o uso desta peça pode chegar a ser prejudicial.

  • Problemas de visão. De acordo com um estudo publicado no British Journal of Ophthalmology, usar uma gravata aumenta a pressão intra-ocular, um dos principais fatores de risco para o glaucoma. Embora um estudo posterior, observa-se que os níveis de pressão no olho são normalizados de 15 minutos depois de habérsela removido.

  • Dor de pescoço e ombro. Esta peça de vestuário, reduz a amplitude de movimento do pescoço, o que supõe um esforço extra para os músculos do trapézio.

  • O influencia o avc? Um nó apertado dificulta (de forma tênue), que o sangue chegue ao cérebro, tal como publicado no Stroke. Poderia prejudicar os homens com risco cardiovascular prévio.

6 coisas que você deve evitar durante a gravidez

Cuidar de si mesmo durante a gravidez é essencial para o bom desenvolvimento do bebê, mas também pode ser uma garantia de como será a sua saúde no futuro.


Relacionado com este artigo


Ser pais


E é que as últimas pesquisas demonstraram que os hábitos de vida da mãe podem afetar muito a vida do filho, mesmo na sua idade adulta.


1. Tomar paracetamol


Se o que eles usam é uma menina (o mesmo não ocorre com as crianças), tomar mais de 6 vezes, este medicamento durante a gestação pode afetar o correto desenvolvimento da linguagem da pequena no futuro.


Há um estudo que o deixa claro: as meninas de mães que estão acima dessa quantidade do fármaco durante a gravidez têm mais problemas com a linguagem, ao chegar aos dois anos (dizem menos de 50 palavras). A investigação, e todos os seus detalhes, foi publicado na prestigiada revista médica European Psychiatry.


O mais seguro é sempre evitar tomar qualquer tipo de medicamento durante a gestação, mesmo os que são vendidos sem receita, a não ser que exista uma justificação clara e que o tenha recomendado expressamente o médico.


Em muitos casos, você pode aliviar o seu desconforto, sem recorrer a eles. Mas tenha em conta também que os remédios naturais podem também ter consequências sobre o desenvolvimento embrionário. Antes de usá-los, informe-se com um especialista credenciado.


2. o Estresse no início da gravidez


Pesquisadores canadenses demonstraram que os filhos de mulheres submetidas a um estresse elevado durante as fases iniciais da gravidez tinham menores habilidades intelectuais na idade adulta.


Se você está vivendo alguma situação de tensão em paralelo a esses nove meses mágicos, talvez lhe convenha realizar alguma atividade que te livre (como yoga ou tai-chi) para evitar essas consequências.


3. nervos antes do parto


Por que umas pessoas são mais capazes do que outros de lidar com uma situação estressante? Parece que parte de esta capacidade também tem que ver com o vivido no útero durante a gestação, especialmente a partir da metade da gravidez (que é quando o feto se desenvolve o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal).


Um estudo realizado na Inglaterra mostrou que os filhos de mulheres que haviam sofrido de ansiedade durante a semana 32 sofreram mais problemas emocionais e de hiperactividade, até os 4 anos de idade.


Uma das causas mais comuns do estresse durante a gravidez é o ambiente de trabalho. Se você sente que o seu actual posto de trabalho se gera ansiedade de algum tipo, háblalo com seus superiores. Talvez possa desempenhar outras funções durante este período tão importante para o seu bebé e para si mesma.


4. Não controlar o seu peso


Não é questão de ficar obcecado com os quilos durante a gravidez, mas também não convém deixar-se levar… porque isso pode afetar o peso do seu filho no futuro!


Um recente estudo inglês publicado no PLOS Medicine relaciona um IMC alto da mãe durante a grávida com um maior tamanho da criança ao nascer, e também com a sua maior tendência a ser obesos durante a infância e até mesmo durante a adolescência.


5. ter a tensão alta na gravidez


Em que um menino ou menina seja melhor ou pior aluno influenciam um grande número de factores. Mas, curiosamente, a sua tensão arterial durante a gravidez também pode ser um elemento decisivo.


Uma pesquisa publicada na revista da American Academy of Neurology , mostrou que quando a mãe tem sofrido pressão alta durante a gravidez, os filhos eram piores notas em um teste de inteligência, tanto aos 20 anos, como se realizava a pessoas de idade madura.



  • Sugerem que acontece porque a tensão aumentada da mãe afeta o desenvolvimento do cérebro do feto e isso repercute em suas capacidades cognitivas.

De todos modos, isso é apenas um detalhe: é claro que a educação de seu filho depende de muito mais.


6. comer muito açúcar ou gordura


Que uma criança tenha fraqueza por doce ou por gorduras saturadas pode estar relacionado também com o que comeu a mãe durante a gestação.


E é que, tal como nos explicam os cientistas canadenses, as preferências culinárias de crianças por determinados tipos de alimentos podem “aprender” durante o período fetal.


Assim, a alimentação que a mãe transmite ao bebê pode influenciar as suas preferências na hora de comer. Se sua dieta é saudável durante a sua gravidez, seu filho preferir comer esses alimentos saudáveis por toda a vida, porque você vai estar, já então, se acostumando com o seu paladar para os sabores.